Search
Sunday 5 July 2020
  • :
  • :

Torá ou Pentateuco: a tradição por excelência!

PE. JUNIOR VASCONCELOS AMARAL

Vigário Paroquial – Professor da Sa­grada Escritura na PUC Minas.

 

O Pentateuco, também conhecido como Torá judaica (“Lei”, “instrução”, “ensino de mãe”), pode ser conside­rado o coração das Escrituras Sagra­das. Toda Escritura tem como inspira­ção a “Lei de Deus” para Moisés e seu povo, juntamente a toda tradição que compõe o Pentateuco, a saber: a tra­dição da Criação (o Gênesis), seguida da tradição dos Patriarcas e Matriar­cas do Povo (Abraão e Sara, Isaac … e Jacó), em seguida a tradição do Êxodo, a ida para o Egito e a volta do Egito para Canaã, período conhecido como Exílio ou cativeiro, que perdu­rou cerca de 430 anos, seguido da busca incessante pela terra, quarenta anos peregrinando pelo deserto.

Em seguida, temos uma tradição extensa de Leis, a tradição legislativa, que compõe o Levítico e o livro dos Números e, por fim, a tradição da re­leitura das Leis dadas a Moisés e ao povo, também conhecida como Deu­teronômio, que traduzindo do gre­go pode ser chamada de “Segundas leis”, uma tradição posterior e mais recente que releu a tradição do livro do Êxodo, esta tradição do Dt está si­tuada no século VI a. C.

O Pentateuco foi atribuído, em sua autoria, a Moisés. Contudo, sabe-se hoje, depois de toda busca mais pro­funda pela história por trás do texto bíblico, que o Pentateuco ou a Torá tem como autor o próprio Deus, que inspirou muitos homens e mulheres (escribas e amanuenses, ou também hagiógrafos) para que estes narras­sem a história do povo de Deus em linguagem humana, cheia de imper­feições, contudo, de modo global está Escritura é inspirada e por isso infalí­vel, sem erros.

Originalmente, a Torá tem com lín­gua oficial o hebraico, mas no século III a. C. setenta e dois sábios a tradu­ziram para o grego, dando a este tex­to o nome de Septuaginta, ou a Bíblia LXX (70), que é composta também pela tradição dos profetas (Nebiin) e dos Escritos sapienciais (Ketubim). Estes três conjuntos formam a Bíblia hebraico a TaNaK. A versão grega LXX serviu para os judeus que viviam na Diáspora, “fora da Palestina”, so­bretudo em Alexandria no Egito, isto é, na grande dispersão a partir do século IV a. C., dispersão provocada depois do Exílio na Babilônia.

O Pentateuco ou Torá tem este nome, pois é uma composição de cin­co importantes livros, já supracitados, mas que na sequência são: Gênesis (Gn), Êxodo (Ex), Levítico (Lv), Núme­ros (Nm) e Deuteronômio (Dt). Estes mesmos livros com nomes gregos, como conhecemos, têm seus respec­tivos nomes ou títulos em hebraico e são eles: Bereshit (Gn), Shemot (Ex), Waykrá (Lv), Bamidbar (Nm), Deva­rim (Dt).

Podemos, grosso modo, perceber, segundo estudiosos renomados do Pentateuco, três formas de literatu­ra ao longo desta grande obra anti­ga. A primeira, a pré-história mítica, que compõe os primeiros onze capí­tulos do Gn, que narram a criação do mundo e do ser humano (Gn 1-2,4a e Gn 2,4b- 3), em seguida narra-se a queda, o pecado original, em seguida o pacto, ou aliança com Noé e toda história de uma nova Criação, com o dilúvio. Estas histórias consideradas míticas dizem de uma história uni­versal em sentido muito particular de um povo que vivia na Palestina e que teve contato com outras culturas que também narravam suas origens. Estes mitos arquétipos valem “para todas as pessoas e não só para uma em particular”. Deus cria o ser huma­no (Adam), que tem sua descendência incontável como as estrelas do céu e os grãos de areia do mar. A segunda literatura presente no Pentateuco é a história dos antepassados, ou dos Pa­triarcas, a partir de Gn 12 até o fim do livro de Gn com a morte de Jacó a benção a seus doze filhos. Estes capí­tulos narram a saga (história de luta e vitória, seguida de tragédias) de mui­tas pessoas, homens e mulheres, que viveram suas histórias e que experi­mentaram a ação amorosa de Deus.

A terceira tradição literária pre­sente no Pentateuco é a do Êxodo e das Leis. O Êxodo é a saída do Egito liderada por Moisés, aquele que foi retirado das águas. Moisés motiva o povo para uma libertação surpreen­dente que perdurava 430 anos mais ou menos. Deus liberta seu povo e o convoca para que depois de livre pos­sa ouvir suas leis na região do Mon­te Sinai. Lá Deus entrega a Moisés duas tábuas com 10 mandamentos, que motivam a uma relação com ele e com o semelhante, o próximo.

Do ponto de vista teológico e bí­blico, o Pentateuco é de suma impor­tância para a compreensão do sentido das Escrituras, em sua totalidade. Se no início deste texto o comparamos ao coração, significa que ele é a vál­vula pulsante da qual emana a graça de Deus que percorre todos os outros textos até chegar ao Novo Testamen­to. Esta graça anunciada no Pentateu­co, a Lei de Deus, pode ser comparada a Jesus, que, para nós cristãos, pode ser comparado ao novo Pentateuco, à nova Torá, a nova Lei que dá sentido a toda lei e a leva à perfeição.

No próximo mês (março) vamos tratar sobre o sentido dos 10 manda­mentos (o Decálogo) para o livro do Êxodo e para o Deuteronômio cap. 5 que o repete “ipsis litteri”, isto é, li­teralmente. Veremos o sentido da Lei para o povo de Deus e para nós nos dias de hoje.




4 thoughts on “Torá ou Pentateuco: a tradição por excelência!

  1. Jaime de Paula Rodrigues

    Muito bom e esclarecedor fazendo essa leitura entendi melhor, pude observar detalhes que no livro ficaram dispersebidas

    responder
  2. José Silvestre da Silveira

    Querido pé. Júnior Vasconcelos, saudações. Sou seu aluno e, solicito seu endereço de e-mail, por gentileza. Para que eu lhe envie a “atividade escolar”. Obrigado. Sua bençâo.

    responder
    1. mariaserva Mensagem autor

      Prezado José Silvestre, paz e bem!

      Padre Júnior é pároco da Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe no Castelo. Gentileza entrar em contato com a secretária da paróquia dele. Ela te informa.

      Ele foi nosso vigário paroquial mas faz um tempo já.

      Um padre muito querido e amigo da nossa paróquia

      Amém.

      Pascom / Pastoral da Comunicação.

      responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *