Search
Tuesday 3 August 2021
  • :
  • :
Última Atualização

Terceiro Domingo da Quaresma

“Quem beber da água que eu lhe darei, jamais terá sede…”

3º. domingo da Quaresma

Evangelho de João 4,5-42

Dirigente – Jesus está sentado, sozinho, junto ao poço de Jacó, em plena Samaria. Os discípulos tinham ido à
cidade para comprar alimento. Chega uma mulher samaritana para pegar água.

Jesus quebra os preconceitos de raça e religião e vai-se revelando aos poucos. Provoca o diálogo pedindo
água. A mulher estranha, pois “os judeus não se dão bem com os samaritanos”. Jesus rompe os preconceitos
de raça e, para continuar o diálogo, excita a curiosidade da mulher a respeito do conhecimento do dom de
Deus e da sua pessoa.

A mulher, mesmo entendendo pouco, se abre ao diálogo. Jesus desvenda a vida da mulher. Ela vivia a
insatisfação existencial, de quem ainda não encontrou aquilo que procura: havia tido “cinco maridos” e,
naquele momento, convivia com outro homem”. Jesus revela a Samaritana o seu pecado e a faz refletir sobre
sua vida. Jesus toca em seu coração: “Ele me disse tudo quanto tenho feito”.

Aqui, a mulher já intui que Jesus é maior que o pai Jacó. Jesus, então, lhe promete a água viva, água que mata
a sede para sempre e, mais que isto, a água do seu Espírito, a força que vem de dentro e jorra para a vida
eterna.

Aí, ela percebe que Jesus é um profeta e levanta a questão religiosa do verdadeiro Templo, onde se deve
adorar, se é no Templo dos samaritanos, ou no Templo de Jerusalém. Jesus acaba com o preconceito religioso,
dizendo que chegou a hora de esquecer o Templo e adorar a Deus em espírito e verdade. Jesus leva a mulher
a ver nele o Messias.

Lendo e relendo o Evangelho vamos observar por onde Jesus começa a falar aos samaritanos e até onde ele
vai. Vamos observar também como a mulher e os outros samaritanos vão enxergando Jesus cada vez melhor.
Sabemos quem é Jesus, mas talvez ainda não o tenhamos falado com Ele, e ainda não o reconhecemos como
nosso Salvador.

Este tempo da Quaresma é o momento para nos aproximarmos dele, encontrá-lo na oração
em um diálogo direto, falar com Ele, ouvi-lo e também o momento para ver o seu rosto no rosto de um irmão
que sofre. Assim, podemos renovar em nós a graça do Batismo, matar a sede na fonte da Palavra de Deus e
do seu Espirito Santo.

Reflitamos:

1. Pelo testemunho da mulher, os samaritanos acolheram Jesus, muitos creram nele e chegaram à
profissão de fé em Jesus como o Salvador do mundo. Como acolhemos Jesus em nosso testemunho
cotidiano em nossas inquietudes e impaciências?
2. Jesus aproximou, acolheu, dialogou e saciou a samaritana que tinha sede de uma água pura. Minhas
atitudes em relação ao próximo são parecidas às de Jesus?
3. Como preencher o vazio causado pela ausência de valores? Qual a nossa sede?
4. O que você quer dizer ao Senhor neste momento?
Senhor, nós suplicamos que direcione o Seu olhar compassivo, para cada um de nós, e ajudai-nos a buscar nos
sacramentos a água viva de que tanto precisamos para sermos missionários da esperança.

Concluindo a nossa reflexão, com essa água que Jesus oferece e que sacia para sempre, rezemos um Pai Nosso
e uma Ave Maria.

** Reflexão do Evangelho preparado pela Maria Ilda de Mendonça ( Pedagoga , Formada pelas Paulinas / FAJE Bíblia em Comunidade , Membro da Pascom – Pastoral da Comunicação Maria Serva , Coordenadora do Terço Praça do Coreto Setor III – N.Sra. Visitação , Membro da Equipe Setorial Maria Serva ).




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *