Search
Sunday 17 January 2021
  • :
  • :

Serva de Deus Benigna

Breve Biografia da Irmã Benigna

Serva de Deus Benigna

Biografia

Irmã Benigna Victima de Jesus (Maria da Conceição Santos) era uma pessoa simples, humilde, alegre e tinha grande amor ao próximo. Seu caminhar de vida deixou marcas profundas em todos que a conheceram e em todos os lugares por onde passou. Nasceu em Diamantina-MG, no dia 16 de agosto de 1907. De família simples, recebeu de seus pais os valores cristãos da religião católica. Sua vocação para a vida religiosa foi se revelando desde sua infância. Aos 28 anos de idade, no dia 11 de fevereiro de 1935 dia dedicado a Nossa Senhora de Lourdes, ingressou na Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade, fundada pelo Servo de Deus Monsenhor Domingos Pinheiro. Em 19 de março de 1936, dia de São José, fez os primeiros votos, passando a se chamar Irmã Benigna Victima de Jesus, entregando-se inteiramente à vontade de Deus. Os votos perpétuos foram feitos em 1941, quando estava em Itaúna.

Levando vida de santidade, prestou serviços em diversas casas da congregação, em várias cidades de Minas Gerais: Itaúna, Caeté, Lambari, Sabará, Lavras e Belo Horizonte. Em Itaúna, quando foi nomeada superiora da casa, fundou uma Maternidade para dar assistência às mães carentes. No Lar Augusto Silva, em Lavras, onde viveu os últimos 16 anos de vida, reconstruiu o local, na época, creche, orfanato e asilo. No dia 16 de agosto de 1980, inaugurou a Capela de São José e no dia 16 de agosto de 1981, inaugurou a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, ambos construídos por ela.
Irmã Benigna tinha uma fé inabalável. Tudo para ela era resolvido através de Jesus e Nossa Senhora. A todos ensinava a piedade, a fé, o amor a Deus, a devoção a Nossa Senhora, o valor da caridade, da Missa, dos sacramentos e das orações, especialmente a Salve Rainha, uma de suas orações prediletas. Estava sempre pronta para ajudar e acolher. Aproximava-se das pessoas e não deixava ninguém sem amparo. Todos que a conheceram, tiveram a graça do seu auxilio e assistência espiritual constante. Não fazia acepção de pessoas. Abdicava de si para cuidar do necessitado, a qualquer hora. Embora tivesse várias doenças, ela ia ao encontro de todos, nunca medindo esforços para chegar a ninguém. Sempre disponível para servir a cada um nas suas necessidades, a qualquer hora, a todos dedicava cuidado e atenção. Ajudava as pessoas a compreenderem suas vidas e a resolverem seus problemas através da fé e da oração, da confiança em Deus e Nossa Senhora. Através dos seus exemplos e palavras, muitos retornaram à fé, às vivências cristãs e a Deus. Sabia compreender as crianças e os jovens, e orientava os pais a compreendê-los também. Levou muitos à conversão, restaurou muitos casamentos e muitas famílias foram transformadas. Não fazia nada sozinha, valorizava o que cada um tinha de melhor, e, assim, cada pessoa que se aproximava dela e se disponibilizava em ajudá-la na sua obra de caridade, ia descobrindo dentro de si a capacidade de também amar e servir a Deus e ao próximo. Por todos os lugares onde passou, levou paz, amor e esperança.

Irmã Benigna faleceu em 16 de outubro de 1981, em Belo Horizonte. Em vida, já era considerada Santa. Após o seu falecimento, sua fama de santidade se espalhou e são inúmeros os relatos de graças alcançadas através da sua intercessão. Para os devotos, Irmã Benigna já é reconhecida como Santa da Hora, Santa da Salve Rainha e Santa da Fartura.

A Associação dos Amigos da Irmã Benigna – Amaiben, fundada a pedido da própria Irmã Benigna à Dona Maria do Carmo Mariano, sua presidente, tem como missão dar continuidade às obras de fé e de caridade, iniciadas pela Serva de Deus, além de divulgar o seu legado e trabalhar para que ela, brevemente, seja beatificada e canonizada.

O processo de beatificação da Irmã Benigna foi aberto em 15 de outubro de 2011, na Arquidiocese de Belo Horizonte. Em janeiro de 2013, encerrou-se a fase diocesana e, em abril do mesmo ano, iniciou-se a fase romana do processo, na Congregação das Causas dos Santos, no Vaticano.

O reconhecimento oficial da sua santidade, será de grande valor para levar a todos, no mundo inteiro, os exemplos de força, fé, caridade e amor, deixados pela Serva de Deus Benigna.

Colaboração do Sr. Wanderson, da Pastoral da Acolhida da Paróquia Maria Serva do Senhor

Fonte: Equipe de comunicação da AMAIBEN – Associação dos amigos da Irmã Benigna.

Publicação: Pascom – Pastoral da Comunicação




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *