Search
Tuesday 18 June 2019
  • :
  • :

Ressuscitou como disse: Aleluia!

Jerusalém sempre foi uma cidade santa e cosmopolita. Assim como hoje o nosso modo de pensar recebe o influxo principalmente da filosofia cristã, lá era o da filosofia grega. Até mesmo a civilização romana dominante era subjacente ao idealismo grego. Por isso era muito difícil aceitar a idéia sobre a ressurreição dos corpos (Catecismo da Igreja Católica-CIC 643). Hoje a Ressurreição de Jesus é um fato historicamente real em força das testemunhas e uma verdade de fé: Jesus viveu num período histórico preciso. Sua vida foi relatada pelos Apóstolos, pelos anais romanos e historiadores da época. Houve uma relação pacífica em parte do Judaísmo ao Cristianismo nascente, antes e depois da Ressurreição: Nicodemos, José de Arimatéia, Gamaliel (At 5, 17-39), os discípulos de Emaus e São Paulo em 1 Cor.15,4-8 fala que Jesus apareceu para mais de 500 pessoas de uma vez só, por fim, O Santo Sudário de Jesus (L’Osservatore Romano 13-04-1980 entrevista o papa João Paulo II). Diante dessas e outras testemunhas “é impossível não admitir a Ressurreição de Jesus fora da ordem física e não reconhecê-la como um fato histórico.” Confere CIC 643, 994, 995.

Também nós temos a obrigação de manter INTACTO e VIVO o testemunho de toda essa gente! Seria vã nossa fé, diz São Paulo (1 Cor.15,12-26) se colocarmos nossa crença na Ressurreição de Jesus só para esta vida. Será tudo uma farsa para os já mortos e um grande vazio para os ainda vivos. E nosso querido Papa Francisco acrescenta:  “Nós anunciamos a Ressurreição de Cristo quando sua LUZ ilumina os momentos obscuros de nossas vidas e quando somos capazes de sorrir com os que sorriem e chorar com os que choram, caminharmos ao lado de quem está triste e corre o risco de perder a esperança, quando contamos a nossa experiência de fé a quem está em busca de sentido e felicidade. Com o testemunho de nossas vidas, dizemos: JESUS RESSUSCITOU!”  É um mistério real da fé que vai além da ciência e do orgulho humano.

As características do ressuscitado é um estado de corpo e alma em completa felicidade. Jesus não volta como Lázaro e outras pessoas das quais falam os Evangelhos. O corpo de Jesus é transformado, glorioso e não está sujeito às leis do espaço e do tempo (CIC 645, 646). Ele pertence agora à dimensão do Céu, porém as pessoas podem ouvi-lo, vê-lo, tocá-lo. Ele não é um fantasma! Conserva as chagas da Paixão. Aparece e desaparece quando quiser. Deixa-se conhecer de imediato ou não. Não precisa comer nem beber, mas come e bebe se quiser. Tudo isso se encontra nos Evangelhos, basta ler com a sabedoria do Espírito Santo e da própria razão. É um corpo espiritualizado que um dia também nós o teremos (1 Cor.15,42-44). Não é um processo natural ou evolutivo, é obra do poder de Deus para um salto espiritual qualitativo do corpo e da alma para junto do Deus Pai.

 

Fred Margonari/Membro da Pascom 

                                                                                                                      

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *